terça-feira, setembro 26, 2006

Arroz de Pato



Este arroz de pato é meio inventado por mim porque sempre achei o arroz de pato sem cor...e este fica maravilhoso!

Ingredientes
1 pato pequeno/médio
1 cebola pequena/mèdia
salsa picada
1folha de louro
 caldo knorr de galinha
sal qb
1/2 cebola pequena
3 colheres de sopa de azeite
2 colheres de café de açafrão
6 rodelas de chouriço de carne
arroz
Confecção
Começe por cozer o pato partido na panela de pressão junto com a meia cebola,o caldo knorr e o sal por 25/30 minutos.Quando estiver tire o pato para desfiar e separe a água de cozer(não deitar fora)na panela deite o azeite ,a salsa a cebola picada o louro e refogue um pouco,deite a agua a dobrar para o arroz(água da cozedura do pato )e o açafrão mexer e provar de sal,quando ferver junte o arroz e mexer sempre para não pegar no fundo não deixar com muito molho e não cozer muito o arroz.Deitar num pirex decorar com as rodelas de chouriço(carregar bem nas rodelas para ficarem quase dentro do arroz) e levar ao forno já quente no grill para tostar as rodelas e o arroz ficar com uma crosta durinha .Servir com salada de alface.

1 comentário:

xistosa disse...

Primeiro, andei à procura dum mail, mas não o encontrei. Era para lhe mandar umas dicas.
Como gosto muito de cozinhar, apesar de ter 60 anos, adoro todos os pratos.
Admiro os seus refogados, ou pseudo refogados, pois pela descrição levam azeite, a rainha das gorduras e não são "puxados".
No pato, ao cozê-lo, junte-lhe um chouriço, não do Minhofumeiro que são muito caros, mas basta um corrente.
Depois de cozido, tire-lhe a pele e congele, para quando tiver restos de carnes para um empadão, por exemplo.
Depois de desossar o pato e tirar-lhe as gorduras, deite por cada medida de arroz, uma e mais um bocado de água.
Ainda caldoso, deite-o num recipiente que possa ir ao forno, sobre o largo, cubra-o com rodelas de salpicão. è mais caro, mas se for bem temperado, dá "aquele" paladar que falta ao arroz de pato.
Desculpe a intromissão e bom apetite, quer para comer, quer para cozinhar.
A minha mulher também é de Viana, (Monserrate) e cozinha muito bem